#Ucrânia

No aniversário de Nagasaki, é hora de repensar a estratégia nuclear e acabar com a guerra na Ucrânia

No aniversário do lançamento da bomba atômica dos EUA em Nagasaki (9 de agosto de 1945), é imperativo que examinemos as falhas da dissuasão nuclear como política de segurança. Oscar Arias e Jonathan Granoff sugerem que as armas nucleares desempenham um papel mínimo de dissuasão na OTAN e apresentam uma proposta ousada de fazer preparativos para a retirada de todas as ogivas nucleares dos EUA da Europa e da Turquia como um passo preliminar para a abertura de negociações com a Rússia. 

Uma Mensagem a todos os Estados Membros da ONU e Líderes das Nações Unidas (Ucrânia)

“A guerra na Ucrânia ameaça não apenas o desenvolvimento sustentável, mas a sobrevivência da humanidade. Apelamos a todas as nações, operando de acordo com a Carta da ONU, para colocar a diplomacia a serviço da humanidade, acabando com a guerra por meio de negociações antes que a guerra acabe com todos nós.” – Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável

Chega de guerras e proibição de armas nucleares

Se algo construtivo vem dos desastres da Ucrânia, pode ser o aumento do volume do apelo pela abolição da guerra. Como observa Rafael de la Rubia, “o verdadeiro conflito é entre as potências que usam pessoas e países, manipulando, oprimindo e colocando-os uns contra os outros por lucro e ganho… O futuro será sem guerra ou não”.

Declaração sobre a Ucrânia do Grupo de Trabalho de Educação para a Paz da Parceria Global para a Prevenção de Conflitos Armados

O Grupo de Trabalho de Educação para a Paz da Parceria Global para a Prevenção de Conflitos Armados apela aos líderes de instituições educacionais, universidades e escolas para implementar a educação para a paz para combater a desinformação, promover a coesão social e apoiar a cura de traumas.

Sr. Guterres, por favor, vá URGENTEMENTE para Moscou e Kiev

Apelamos a todos que pudermos alcançar para enviar seus próprios pedidos ao secretário-geral Guterres para ir a Moscou e Kiev para estabelecer um cessar-fogo imediato e avançar nas negociações de paz sérias patrocinadas pela ONU, representando os povos do mundo que querem e precisam de paz.

Pacifista ucraniano Yurii Sheliazhenko sobre como apoiar a causa da paz

Yurii Sheliazhenko, secretário executivo do Movimento Pacifista Ucraniano, destaca a importância da educação para a paz para superar o medo e o ódio, adotar soluções não violentas e apoiar o desenvolvimento da cultura de paz na Ucrânia. Ele também examina o problema de uma ordem global militarizada e como uma perspectiva de governança global não-violenta em um mundo futuro sem exércitos e fronteiras ajudará a diminuir a escalada Rússia-Ucrânia e o conflito Leste-Oeste que ameaça o apocalipse nuclear.

Acabe com a guerra, construa a paz

Ray Acheson argumenta que para enfrentar as crises agravadas na Ucrânia, a guerra e o lucro da guerra devem terminar, as armas nucleares devem ser abolidas e devemos enfrentar o mundo da guerra que foi deliberadamente construído às custas da paz, justiça e sobrevivência.

Dez pontos sobre a Ucrânia do ponto de vista da política de paz

Werner Wintersteiner argumenta que, mesmo após o ataque russo, a paz é a única opção na Ucrânia. Com base em sua análise, o GCPE convida os leitores a considerar a perspectiva da pesquisa de paz, explorar o que está faltando no discurso atual e contemplar as mudanças no sistema que podem ser necessárias para permitir a obtenção de um acordo de paz justo.

Voltar ao Topo