Educação para a paz na região dos Grandes Lagos: Um Documento de Discussão

(Foto: Interpeace)

Educação para a paz na região dos Grandes Lagos: Um Documento de Discussão

(Repostado de: interpeace. 20 de fevereiro de 2017)

De 15 a 16 de fevereiro de 2017, a Interpeace participou do Fórum Regional ODS4 para a África Oriental em Dar es Salaam, Tanzânia. O fórum de alto nível - organizado pela UNESCO com o apoio dos co-convocadores do ODS4 (OIT, UNFPA, PNUD, UNICEF, ONU Mulheres, ACNUR e Banco Mundial) - visa capacitar os Estados Membros sob o Escritório Regional da UNESCO para a África Oriental ( Comores, Djibouti, Eritreia, Etiópia, Quênia, Madagascar, Maurício, Ruanda, Seychelles, Somália, Sudão do Sul, Tanzânia e Uganda) para apresentar seus roteiros nacionais do ODS4 em apoio à implementação da Agenda de Educação para 2030. As delegações nacionais no fórum serão lideradas por seus respectivos Ministros da Educação e incluirão os Pontos Focais Nacionais do ODS 4.

A Interpeace fez uma palestra no fórum, o que proporcionou uma oportunidade de compartilhar sua experiência de trabalho com parceiros locais, nacionais e internacionais para promover a educação para a paz no Região dos Grandes Lagos da África. Esta experiência e os pontos de ação sugeridos estão incluídos em um documento de discussão, disponível na íntegra aqui.

Contexto

A região dos Grandes Lagos da África passou por alguns dos conflitos mais intratáveis ​​já testemunhados na África. Milhões de vidas se perderam em conflitos recorrentes que causaram um sofrimento indescritível aos povos da região. Nos três países, Ruanda, Burundi e República Democrática do Congo (RDC), a natureza transfronteiriça dos conflitos deixou marcas profundas nas populações da região, especialmente nos jovens. Muitos jovens têm historicamente desempenhado um papel central nos conflitos recorrentes por meio de grupos armados aos quais ingressam por meio de coerção ou manipulação, resultando em uma situação em que a violência se tornou o meio principal de lidar com o conflito.

Este artigo para discussão apresenta pontos de ação que resultaram de uma cúpula regional que aconteceu em março de 2016 em Nairóbi sobre Educação para a Paz na Região dos Grandes Lagos, co-organizada pela Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (ICGLR), Interpeace e UNESCO. Os participantes da cimeira incluíram funcionários dos Ministérios da Educação, Género e Juventude dos Governos do Ruanda, Burundi e RDC; parlamentares; líderes de governos provinciais; praticantes de educação; bem como especialistas técnicos em construção da paz e educação para a paz da ICGLR, Interpeace e UNESCO.

Os participantes enfatizaram a importância de fortalecer os valores morais e éticos entre os jovens para garantir que eles se tornem os motores de mudanças sociais construtivas e os pilares da paz e estabilidade sustentáveis ​​na região dos Grandes Lagos. Eles, portanto, apelaram ao rápido avanço de uma política regional de educação para a paz que fornecerá uma base para que todos os Estados membros institucionalizem e promovam a educação para a paz em seus respectivos países, tanto no nível formal quanto no não formal. A Cúpula enfatizou ainda a urgência de tornar a educação para a paz uma prioridade para os formuladores de políticas na região.

Propostas-chave no caminho a seguir

A proposta política abrangente é um apelo para situar a educação para a paz no centro de um esforço coletivo dos estados regionais, órgãos regionais e parceiros de desenvolvimento nos Grandes Lagos, com o objetivo de longo prazo de formar futuras gerações de jovens que serão agentes eficazes de paz na região, um fator chave na construção de uma paz duradoura. É a esse respeito que os participantes da cúpula propuseram as seguintes recomendações às partes interessadas:

  1. Parceiros de Desenvolvimento, tanto bilaterais como multilaterais, são encorajados a promover o desenvolvimento da educação para a paz, apoiando os esforços de formulação de políticas regionais, a produção das ferramentas pedagógicas necessárias, bem como reforçando a colaboração e as parcerias entre os atores relevantes na região.
  2. Organizações Regionais são encorajados a colocar a educação para a paz como um item prioritário em sua agenda para a paz e estabilidade na região dos Grandes Lagos. Este apelo é particularmente relevante para os mandatos da Comunidade Económica dos Países dos Grandes Lagos (CEPGL), da Comunidade da África Oriental (EAC), ICGLR, da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) e da União Africana.
  3. Ministérios da Educação são encorajados a trabalhar no sentido de padronizar o currículo de educação para a paz em seus países e para mobilizar as capacidades humanas e os recursos materiais necessários que permitirão o fornecimento de uma educação formal para a paz eficaz. Isso resulta da constatação de que, embora a educação para a paz exista em todos os países regionais, embora em vários graus de implementação, há lacunas entre a vontade política existente e a ação no terreno.

Além da educação formal para a paz nas escolas, os participantes recomendaram o envolvimento de outros atores, como os pais e a igreja, que podem desempenhar um papel importante no fornecimento de educação para a paz a jovens que não frequentam a escola.

[tipo de ícone = ”glyphicon glyphicon-download-alt” color = ”# dd3333 ″] Baixe o artigo completo (PDF)

(Vá para o artigo original)

Seja o primeiro a comentar

Participe da discussão ...